Em Urupema, visitantes não podem ir até o Morro das Torres e, em Urubici, o acesso está vetado a todos os locais mais procurados para turismo.

Em Bom Jardim da Serra, a ordem é para diminuir o número de turistas pela metade.

Urupema, na Serra Catarinense, é destino bastante procurado nos meses mais frios do ano Marleno Muniz/Divulgação As prefeituras de Bom Jardim da Serra, Urubici e Urupema, cidades da Serra catarinense que recebem milhares de turistas nesta época do ano, adotaram medidas restritivas para evitar a propagação do novo coronavírus.

Nenhum desses municípios têm casos de Covid-19, segundo a última atualização do governo de Santa Catarina.

O estado já tem mais de 5,6 mil registros da doença, incluindo 98 mortes.

Em Urupema, a decisão foi pelo fechamento por tempo indeterminado ao acesso ao Morro das Torres.

O local é privado e a medida foi tomada após reunião entre o proprietário e representantes da prefeitura.

Decreto de quinta-feira (21) torna obrigatório o uso de máscaras no município.

Pedra Furada, em Urubici, é um dos principais pontos turísticos da região Sharlene Melanie/Commons Wikimedia Na cidade de Urubici, a restrição é maior.

Decreto assinado pelo prefeito Antônio Zilli (PSL) proíbe o acesso e a permanência em todos os locais turísticos do município por tempo indeterminado.

A fiscalização será feita por servidores municipais e Polícia Militar. Quem desobedecer poderá sofrer punição civil e administrativa, e responder criminalmente por infração de medida sanitária preventiva (com pena de detenção de um mês a um ano, e multa) e desobediência (com pena de detenção de 15 dias a seis meses, e multa). Em Bom Jardim da Serra, decreto desta sexta-feira (22) assinado pelo prefeito Serginho Rodrigues de Oliveira (PSL) limita pela metade as visitas ao Mirante da Serra do Rio do Rastro, a Cascata do Rio Barrinha, a Praça da Igreja Matriz Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e os cânions.

Os turistas também deverão, obrigatoriamente, usar máscaras. Conforme o texto, será montada barreira de fiscalização no Mirante, coordenada pelo Corpo de Bombeiros, com o Grupo de Ações Coordenadas (GRAC) do governo do estado e a Polícia Rodoviária Federal.

Para os outros pontos, o monitoramento será feito pela Defesa Civil e Vigilância Sanitária municipais, que também vão fazer o mesmo trabalho nas áreas de alimentação e hospedagem.

Veja mais notícias do estado no G1 SC